Total de visualizações de página

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Dia do autor português



Dia do Autor Português
Ler é sonhar pela mão de outrem. Ler mal e por alto é libertarmo-nos da mão que nos conduz. A superficialidade na erudição é o melhor modo de ler bem e ser profundo.

Livro do Desassossego, Fernando pessoa

Entrar dentro de um romance é como subir às montanhas: tens que aprender o ritmo da respiração, adquirir o ritmo, senão paras de imediato.

O Nome da Rosa, Humberto Eco
O livro não depende da minha intenção. Se ele não for isso, ele não deixa de ser aquilo que é para passar a ser aquilo que eu digo que ele é. Como também não depende da pessoa que lê. Haverá qualquer outra coisa, por debaixo disso tudo: a verdade, que é uma palavra muito complicada.


quinta-feira, 18 de maio de 2017

Rosa dos Ventos - exposição de trabalhos

Os trabalhos sobre a Rosa dos Ventos estão expostos na biblioteca da EB 2,3 Dr. José Neves Júnior. Foram realizados pelos alunos do 7.º B e C para a disciplina de Geografia com a professora Salomé Viegas, numa articulação com a Biblioteca.

E, para quem não sabe, aqui vão algumas informações sobre a Rosa dos Ventos:

A rosa dos ventos  é uma imagem que representa os quatro sentidos fundamentais e seus intermediários. A rosa dos ventos corresponde à volta completa do horizonte e surgiu da necessidade de indicar exatamente um sentido que nem mesmo os pontos intermediários determinariam, pois um mínimo desvio inicial torna-se cada vez maior, à medida que vai aumentando a distância.
Assim, praticamente todos os pontos na linha do horizonte podem ser localizados com exatidão. Cada quadrante da rosa dos ventos corresponde a 90°: considera-se o norte a 0°; o leste a 90°; o sul a 180°, o oeste a 270°, e novamente o norte a 360°.
A utilização de rosas dos ventos é extremamente comum em todos os sistemas de navegação antigos e atuais. O seu desenho em forma de estrela tem a finalidade única de facilitar a visualização com o balanço da embarcação, portanto os quatro pontos cardeais principais são os mais fáceis de ser notados: norte (0° de azimute cartográfico), sul (180°), este ou leste (90°) e oeste (270°). Dependendo do tamanho da bússola pode caber mais quatro pontos que são chamados de colaterais: nordeste (45°), sudeste (135°), noroeste (315°) e sudoeste (225°); se o visor for maior ainda costumam incluir mais oito pontos, os subcolateris: nor-nordeste (22,5°), lés-nordeste (67,5°), lés-sudeste (112,5°), sul-sudeste (157,5°), sul-sudoeste (202,5°), oés-sudoeste (247,5°), oés-noroeste (292,5°) e nor-noroeste (337,5°).
Assim como os meridianos estão para os pólos, da mesma forma todos os rumos estão para o observador.



quarta-feira, 17 de maio de 2017

Dia da BIODIVERSIDADE





 

Esta data, criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), visa conscientizar a população mundial sobre a importância da diversidade biológica, além da necessidade da proteção da biodiversidade em todos os ecossistemas do planeta.

Normalmente, durante esta data, várias instituições em prol da defesa do meio ambiente organizam atividades com o objetivo de educar a população em geral sobre a importância da preservação da biodiversidade para o equilíbrio da vida na Terra.

 

Origem do Dia Internacional da Biodiversidade

O Dia Internacional da Biodiversidade foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) a 22 de maio de 1992.

Esta data consiste numa homenagem ao dia em que foi aprovado o texto final da Convenção da Diversidade Biológica, intitulado: “Nairobi Final Act of the Conference for the Adoption of the Agreed Text of the Convention on Biological Diversity”.

Antes, o Dia Internacional da Biodiversidade costumava ser celebrado a 29 de dezembro, data em que entrou em vigor a Convenção da Diversidade Biológica.

22 de maio - DIA DO AUTOR PORTUGUÊS



DIA DO AUTOR PORTUGUÊS

 

Neste dia todos os autores portugueses nas diferentes áreas artísticas estão de parabéns. Na sociedade atual, caracterizada pelo materialismo, o autor, um produtor de ideias, não costuma receber o crédito que merece.

Foi com o propósito de homenagear o autor português e destacar a sua importância no desenvolvimento da cultura e do bem-estar da comunidade que se criou esta data em 1982. Este dia assinala igualmente o aniversário da Sociedade Portuguesa de Autores.

Para celebrar a efeméride realizam-se várias atividades no país, com destaque para o encontro com os autores portugueses e as iniciativas de promoção e incentivo à leitura realizadas nas bibliotecas escolares.

Todos são convidados a recordar os grandes autores portugueses neste dia ou a conhecer novos autores, desde os talentos emergentes na cena nacional aos talentos mais anónimos.

E PARA TI, QUEM SÃO OS TEUS AUTORES PORTUGUESES DE ELEIÇÃO?

VI Encontro Partilhar Leituras


quarta-feira, 10 de maio de 2017

Concurso Nacional de Leitura - fase regional

A fase regional do Concurso Nacional de Leitura decorreu ontem, dia 10, no Auditório da Biblioteca Municipal de Olhão. Entre cada prova houve momentos culturais realizados por alunos de escolas dos agrupamentos de Olhão.
Aqui ficam os destaques:

quinta-feira, 4 de maio de 2017

9 de maio - DIA DA EUROPA

O dia da Europa ou dia da União Europeia é uma data comemorativa celebrada anualmente na Europa no dia 9 de maio. A data escolhida reflete o dia 9 de maio de 1950 em que o estadista francês Robert Schuman avançou com a proposta de uma entidade europeia supranacional.
Para comemorar esta data, os alunos do 7 B e C realizaram trabalhos sobre os diferentes países no âmbito da disciplina de Geografia com a professora Salomé Viegas. Esta atividade foi feita  articulação com a biblioteca escolar.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Pat R - um sucesso!

O encontro com a escritora Patrícia Rodrigues, mais conhecida por Pat R, foi um verdadeiro sucesso. O auditório da Escola Secundária Pinheiro e Rosa encheu-se para ouvir a escritora falar sobre o seu último livro. No final, houve tempo para fazer perguntas, ouvir música e para alguns autógrafos.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

O cavaleiro da Dinamarca

Após trabalharem em sala de aula a obra de Sophia de Mello Breyner Andresen O cavaleiro da Dinamarca, os alunos do 7.º B realizaram trabalhos sobre a obra, numa articulação entre as professoras Fernanda Sofia e Anabela Silva. Os trabalhos estão mesmo espetaculares e, de momento, podem ser vistos na BE da E.B. 2,3 Dr. José Neves Júnior. Depois, irão para a BE da Escola Secundária Pinheiro e Rosa para que possam ser vistos pelos alunos mais velhos.

Instrumentos musicais

Sabe como fazer instrumentos musicais usando  materiais recicláveis? Venha visitar a exposição que se encontra na BE da E.B. 2,3 Dr. José Neves Júnior para saber como se faz. Os instrumentos em exposição foram feitos pelos alunos do 8.º B com a professora Margarida Anselmo.


25 de ABRIL

Encontra-se patente na Biblioteca da E.B. 2,3 Dr José Neves Júnior uma exposição de trabalhos dos alunos do 6.º C sobre o 25 de abril. Os trabalhos foram realizados sob a supervisão da professora Orlandina Laranjo.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Pat R vem à ES Pinheiro e Rosa

A escritora Patrícia Rodrigues (Pat R) virá à Escola Secundária Pinheiro e Rosa (Auditório) no dia 2 de maio para a apresentação do seu novo livro "Os homens nunca saberão nada disto".
Serão realizadas duas sessões.

Esperamos por ti!

segunda-feira, 24 de abril de 2017

25 de abril



Revolução de 25 de Abril de 1974

A Revolução de 25 de Abril, também mencionada como Revolução dos Cravos, refere-se a um período da história de Portugal resultante de um movimento social, ocorrido a 25 de abril de 1974, que depôs o regime ditatorial do Estado Novo, vigente desde 1933, e iniciou um processo que viria a terminar com a implantação de um regime democrático  e com a entrada em vigor da nova Constituição, a 25 de abril de 1976, com uma forte orientação socialista na sua origem.
Esta ação foi liderada por um movimento militar, o  Movimento das Forças Armadas (MFA), constituído na sua maior parte por capitães que tinham participado na Guerra Colonial  e que tiveram o apoio de oficiais milicianos. Este movimento surgiu por volta de 1973, baseando-se inicialmente em reivindicações corporativistas, como a luta pelo prestígio das forças armadas, e acabando por atingir o regime político em vigor. Com reduzido poderio militar e com uma adesão em massa da população ao movimento, a resistência do regime foi praticamente inexistente e infrutífera, registando-se apenas 4 civis mortos e 45 feridos, em Lisboa, pelas balas da Direção Geral de Segurança.
O movimento confiou a direção do País à Junta de Salvação Nacional, que assumiu os poderes dos órgãos do Estado. A 15 de maio de 1974, o General António de Spínola foi nomeado Presidente da República. O cargo de primeiro-ministro seria atribuído a  Adelino da Palma Carlos. 
Seguiu-se um período de grande agitação social, política e militar conhecido como o  PREC (Processo Revolucionário em Curso), de cariz comunista, marcado por manifestações, ocupações, governos provisórios, nacionalizações  e confrontos militares que terminaram com o 25 de Novembro de 1975.
Estabilizada a conjuntura política, prosseguiram os trabalhos da  Assembleia Constituinte para a nova constituição democrática que entrou em vigor no dia 25 de Abril de 1976, o mesmo dia das  primeiras eleições legislativas  da nova República. Na sequência destes eventos, foi instituído em Portugal um feriado nacional no dia 25 de abril, denominado como "Dia da Liberdade".